OS BENEFÍCIOS DO JEJUM INTERMITENTE.


jejum intermitente

O jejum intermitente trata-se de uma estratégia de diminuição da frequência alimentar podendo ser uma restrição completa ou parcial na ingestão de calorias (entre 50 e 100% da ingestão calórica total diária) de 1 a 3 dias por semana ou uma restrição completa na ingestão de calorias em um período durante o dia. Essa prática foi avaliada durante o período do Ramadan, no qual se trata de um mês sagrado no calendário islâmico em que os muçulmanos se privam de comer ou beber durante o dia, ocasionando em aproximadamente 12 horas de jejum. Ao final do processo, era observado que os indivíduos apresentavam diminuição da frequência cardíaca e diminuição da massa gorda, o que poderia relacionar a prática do jejum com os benefícios a saúde.


A adesão a essa prática vem se destacando pelo fato de ser mais facilmente aderido pela população em comparação com outras estratégias utilizadas como também evidenciam seu potencial para corrigir anormalidades metabólicas. Entre os fatores que mais se destacam está a melhora na sensibilidade a insulina, melhoras no perfil lipídico, diminuição da pressão arterial, diminuição dos marcadores inflamatórios e aumento da lipólise.


Apesar dos efeitos benéficos relacionados à aplicação dessa prática, o jejum pode resultar em eventos adversos leves, como dores de cabeça, desmaios, fraqueza e desidratação. Além do mais, o jejum excessivo pode levar à desnutrição, distúrbios alimentares, susceptibilidade a doenças infecciosas ou danos moderados aos órgãos.


Além disso, esse controle de calorias beneficia a saúde cardiovascular, redução de peso, sensibilidade à insulina, controle do diabetes, função cognitiva e prevenção do câncer nos seres humanos. Mesmo com esses benefícios, a restrição calórica pode ser difícil de ser praticada em longo prazo, podendo aumentar o risco de desnutrição. No entanto, alguns estudos referem que o jejum intermitente reduz esse risco pela facilidade em ser seguida. Ademais, há uma quantidade crescente de estudos no qual sugere que a prática do jejum intermitente também poderia ser um esquema nutricional viável no combate a certas doenças.


<