TUDO SOBRE TRIBULLUS TERRESTRIS!


tudo sobre tribullus terrestris

O tribulus terrestris é uma planta medicinal, rasteira, da família Zigophyllaceae e possui distribuição mundial, principalmente nas regiões da Europa, Ásia e África. Seu uso é milenar, geralmente em tônicos afrodisíacos e para tratamentos diversos, como infecções urinárias, ascite, edema e outras doenças.


Entre uma das muitas plantas exóticas que promete ser um remédio para infertilidade, impotência, disfunção erétil e baixa libido está a Tribulus terrestris que desde o inicio de 1980 tem se mostrado atraente para a medicina não convencional em países ocidentais para um aumento de testosterona. Sendo assim uma potente erva atrativa para atletas de competição, como uma alternativa sobre as drogas que pudessem melhorar o rendimento, os esteroides anabólicos androgênicos. A mesma tem sido usada nas terapias pós-ciclo por parecer aumentar desde os níveis de testosterona ate a queda de libido.


É sugerido que o tribullus terrestris aumente os níveis séricos do hormônio luteinizante (LH) e consequentemente os níveis de testosterona. A protodioscina (PTN) seu componente fito químico principal, seria a responsável pelo aumento dos níveis séricos de LH, acredita-se que a protodioscina através de reações enzimáticas se converta em desidroepiandrosterona (DHEA), que é um percursor da testosterona, e di-hidrotestosterona (DHT). Este parece ser o androgênio ativo em muitos tecidos-alvo, sendo considerado tão potente quanto a testosterona.


Trabalhos científicos buscando a comprovação de que o uso de tribullus terrestris eleve os níveis hormonais dos androgênios como a testosterona ou seus percursores, ainda são incertos. Com objetivo de determinar o efeito da suplementação com tribullus terrestris referente à força, massa livre de gordura e a relação T/E urinário, avaliou 22 jogadores de rúgbi durante cinco semanas. O estudo foi duplo-sego, onde os participantes foram distribuídos em dois grupos, um grupo foi submetido a cápsulas de tribullus terretris (450 mg/dia) e outro recebeu placebo. Após cinco semanas de treinamento, força e massa magra aumentaram significativamente sem diferenças entre os grupos, não houve diferenças entre os grupos na relação T/E urinário. Este estudo concluiu que a suplementação de tribullus terrestris não contribui para o aumento da massa muscular e não tem efeito no aumento sérico androgênico.


Na Bulgária, Neychev; Mitev (2005) investigaram a propriedade do extrato de tribullus terrestris sobre o metabolismo andrógeno em homens jovens de 20 a 36 anos. Foram separados em grupos (controle e tratamentos) onde se forneceu duas diferentes dosagens (20 mg/kg e 10mg/kg) três vezes ao dia durante quatro semanas. Foram mensurados os níveis de hormônio luteinizante (LH) antes da suplementação, e às 24 horas, 72 horas, 240 horas, 408 horas e 576 horas, desde o início da suplementação. Não houve diferença estatística significativa entre os grupos suplementados com tribullus terrestris e controle nos níveis de testosterona, concluindo-se neste trabalho que o extrato de tribullus terrestris não possui propriedades de aumentar os andrógenos.


Efeitos hormonais da utilização de tribullus terrestris foram avaliados em primatas, coelhos e ratos por Gauthaman (2008), objetivando a utilidade no tratamento da disfunção erétil. Foram testadas nos primatas três doses injetáveis diferentes de extrato de tribullus terrestris (7,5 mg/kg, 15 mg/kg e 30 mg/kg) para estudo de toxicidade aguda, os coelhos e ratos foram tratados por via oral (2,5 mg/kg, 5 mg/kg e 10 mg/kg) durante oito semanas para estudo crônico. Foram analisadas amostras de sangue e avaliados os níveis de testosterona, diidrotestosterona (DHT) e sulfato de dehidroepiandrosterona (DHEA) usando radioimunoensaio, se obteve resultado positivo no aumento dos níveis hormonais nas várias dosagens estudadas.


Nos primatas, denotou-se um aumento da testosterona (52%), DHT (31%) e DHEA (29%) estatisticamente significativo. Em coelhos, a testosterona e DHT aumentaram em relação ao controle. Em ratos a testosterona teve um aumento 25%. Esse estudo conclui que esses aumentos dos hormônios podem qualificar o tribullus terrestris para ser utilizado em disfunção erétil.


Então conclui-se que que ainda faltam mais evidencias cientificas sobre a eficacia do tribullus terrestris para aumento de testosterona e ganho de força, sobretudo estudos que comprovem sua eficacia em humanos.

Posts Em Destaque