OS BENEFÍCIOS DO PSYLLIUM!


psyllium

A constipação intestinal acomete cerca de 20% da população mundial e constitui um dos sintomas mais frequentes de procura ao médico. É mais comum em mulheres e idosos e se encontra entre as doenças funcionais do intestino.


Pode ser referida pelo paciente como fezes endurecidas, esforço excessivo no ato evacuatório, evacuações infrequentes ou sensação de evacuação incompleta. Subdivide-se em primária e secundária, tendo essa última causa bem definida, como doenças endócrinas e neurológicas ou uso inadvertido de substâncias obstipantes.


A constipação intestinal é uma condição multifatorial, sendo na maioria das vezes decorrente da ingesta inadequada de fibras e água. Subdivide-se em primária e secundária, tendo esta última causa bem definida, como doenças endócrinas e neurológicas ou uso inadvertido de substâncias obstipantes.


Psyllium é o nome dado às sementes das plantas do gênero Plantago, também chamadas de isphagula. Essas sementes são muito conhecidas por seus efeitos laxativos, mas também possuem outros benefícios, como ajudar a equilibrar os níveis de colesterol e a saúde do coração. Entretanto, é preciso entender para que serve o psyllium e ficar atento aos seus possíveis efeitos indesejados.


O psyllium é uma fibra solúvel natural derivada da casca da semente da erva Plantago Ovata, de origem asiática, que pertence ao grupo das gomas e mucilagens. Sua fibra é higroscópica, ou seja, absorve água e quando é misturada aos líquidos pode aumentar em até 20 vezes o seu tamanho, formando uma espécie de “pasta” que limpa as paredes intestinais, transporta toxinas e resíduos e tem um excelente efeito laxante, mas sem causar diarreia ou dores abdominais.

A semente de psyllium tem a propriedade de absorver água em grande quantidade, o que ajuda a manter o intestino hidratado e facilita os movimentos peristálticos (movimentos intestinais). Essas sementes também ajudam a promover o equilíbrio sem aumentar a flatulência. O psyllium pode ser usado para aliviar a constipação ou ser adicionado à dieta para promover a saúde digestiva geral.


Diante do bom funcionamento intestinal, o corpo é capaz de manter as células e os tecidos saudáveis, combater infecções e reduzir inflamações. O consumo adequado de psyllium auxilia nos tratamentos de constipação, diarreia, colite, hemorroidas, fissuras anais e doença de Crohn.


Ele também pode ser consumido para promover a regularidade do intestino, é eficaz nas dietas de redução de peso e um aliado na manutenção da saúde do coração, níveis de colesterol e diabetes. Logo abaixo, selecionamos os principais benefícios do psyllium e como ele poderá contribuir ainda mais para a sua saúde.

Um dos principais benefícios do psyllium é o auxílio na melhora do trânsito intestinal, pois é uma potente fonte de fibras naturais, sendo que cada 100 gramas dele oferecem 80 gramas de fibra e quando entram em ação no intestino promovem uma faxina, limpando as “paredes”, eliminando toxinas e impurezas pelas fezes, sem causar desarranjos intestinais.

O intestino é um órgão muito sensível que se conecta ao mundo exterior todas as vezes que nos alimentamos. Uma dieta pobre em vegetais, grãos e frutas, por exemplo, pode desencadear uma série de problemas intestinais, entre eles a constipação ou “prisão de ventre”, como é mais conhecida.


Consumir o psyllium ajudará a reduzir a constipação e prevenir complicações como hemorroidas e fissuras anais, pois sua capacidade de absorver a água que passa pelo intestino ajuda a amolecer as fezes, facilitando a movimentação e fluxo normal do intestino.


Nem sempre os sintomas das doenças inflamatórias intestinais são claros e é muito comum que o diagnóstico leve anos para chegar. Até lá, são muitos os desconfortos que comprometem a qualidade de vida daqueles que sofrem com esses problemas.


Mais uma vez, a mudança na alimentação aparece como necessária, e é aí que surgem mais benefícios do psyllium, pois quando ingerido da forma e na quantidade correta costuma aliviar a os sintomas da diarreia ou constipação, proporcionando uma melhora do quadro provocado pela inflamação. É importante ressaltar que para os casos de doenças crônicas, seguir a prescrição médica em relação à dosagem e à frequência é fundamental.

Além disso, ele pode ser um aliado de quem possui síndrome do intestino irritável (SII) e doença de Crohn, principalmente por ser um prebiótico, ou seja, um alimento que ajuda a manter as colônias de micro-organismos benéficos do intestino.


Algumas pesquisas mostraram que o consumo de 7,9 gramas de psyllium por dia com probióticos (alimentos que contém micro-organismos benéficos) é uma maneira segura e eficaz de tratar a doença de Crohn. No entanto, outros resultados mostraram que as fibras solúveis, como as do psyllium, podem piorar os sintomas para algumas pessoas.


Ingerir fibras solúveis pode ajudar a equilibrar os níveis de colesterol, algo que é vital para pessoas com mais de 50 anos. Um estudo concluiu que ingerir sementes de psyllium diariamente durante seis semanas seguidas é eficaz para reduzir o colesterol em pessoas obesas ou com excesso de peso.


Os níveis de açúcar no sangue exigem atenção, principalmente para pessoas com um quadro de diabetes. Incluir fibras na dieta pode manter um equilíbrio glicêmico apropriado principalmente após as refeições, isso porque elas ajudam a reduzir a velocidade com que carboidratos são absorvidos pelo organismo, além de não se transformarem em moléculas de açúcar. Uma fibra formadora de gel como o psyllium poderá ser ainda mais eficaz, pois sua digestão será mais lenta e esse processo também auxiliará a regular os níveis de açúcar no sangue.


Idealmente, o corpo de um adulto precisa de 25 a 30 gramas de fibras diariamente, sendo 25 para as mulheres e 30 gramas para os homens. Uma colher de sopa de psyllium na versão em pó ou farelo contém cerca de 5 gramas de fibra e inserir na dieta pode ajudar a suprir as necessidades diárias.


É recomendado começar tomando uma porção por dia e aumentar gradualmente para que o corpo possa se adaptar. Ele pode ser consumido durante o dia, antes das refeições principais se o objetivo for controlar o apetite, e pode ser misturado aos alimentos prontos e até mesmo usado como ingrediente em algumas receitas.



Posts Em Destaque