OS BENEFÍCIOS DO SELÊNIO.


selenio

O selênio é um mineral com um alto poder antioxidante e por isso ajuda a prevenir doenças como o câncer e a fortalecer o sistema imunológico, além de proteger o contra problemas cardíacos como a aterosclerose. Ele é um micronutriente essencial para a maioria das formas de vida, é um poderoso antioxidante, estimula o sistema imunológico e ajuda no equilíbrio do hormônio ativo da glândula tireóide.


Além disso, protege o coração pois reduz a viscosidade do sangue, diminuindo o risco de coágulos, consequentemente, de ataques cardíacos e AVC. Quando a dieta é pobre e deficiente em alimentos que possuem selênio os sintomas percebidos são dores musculares, fadiga e fraqueza muscular, também podem ser observadas manchas brancas nas unhas.


O selênio é encontrado no solo e está presente na água e em alimentos como castanha-do-pará, farinha de trigo, pão e gema de ovo, e a sua suplementação só deve ser feita com orientação do médico ou do nutricionista, pois o excesso de selênio no organismo pode trazer malefícios para a saúde.


O selênio é um poderoso antioxidante que ajuda a reduzir a quantidade de radicais livres no organismo. Esses radicais livres são formados naturalmente durante o metabolismo corporal, mas podem causar danos como inflamação, alterações no funcionamento das células e envelhecimento. Por ser antioxidante, o selênio protege as células contra alterações no seu DNA que levam à produção de tumores, sendo importante para prevenir principalmente os cânceres de pulmão, mama, próstata e cólon.


O selênio é importantíssimo para muitos processos a nível celular, motivo pelo qual a sua influência é dificilmente visível na primeira observação. Essa influência, porém, favorece a manutenção do ciclo de vida ideal de uma célula, o que é extremamente importante para evitar o câncer. Nesse sentido, o selênio reforça a tendência à apoptose, isto é, à morte natural e programada das células. Se esse mecanismo para que serve o selênio não funcionar corretamente, as chances de desenvolvimento de câncer aumentam dramaticamente.


Também muito importante entre os benefícios do selênio é o estímulo ao sistema endócrino, particularmente à glândula tireoide. Essa glândula central, que regula o metabolismo e o funcionamento de outros componentes do sistema endócrino, funciona de modo mais eficaz e intenso através da influência do selênio.


O primeiro efeito visível da deficiência de selênio é um quadro de fraqueza muscular e de fadiga, que se prolonga tanto quanto durar a escassez de selênio no organismo. Progressivamente grave, porém, é a falta de estímulos à glândula tireoide, que pode passar a funcionar a níveis muito abaixo do ideal.


Esse funcionamento lento da tireoide é chamado de hipotireoidismo, e traz ao corpo uma série de problemas hormonais que são provocados em cadeia. Diretamente, porém, o hipotireoidismo provoca uma desaceleração do metabolismo, conduzindo muitas pessoas à obesidade e a riscos significativamente maiores de doenças cardiovasculares.


A longo prazo, as funções do selênio na prevenção de doenças passam a fazer falta. O risco de câncer, bem como de doenças cardiovasculares e de doenças infeccionais, torna-se muito maior caso haja uma deficiência de selênio no organismo. Além das doenças, o corpo sem a quantidade necessária de selênio sofre com os efeitos do envelhecimento acelerado.


As doses diárias ideais de selênio são bastante pequenas, fazendo jus ao caráter tóxico desse mineral em grandes quantidades. Para as crianças, a quantidade mínima de 20mcg por dia é válida até os três anos, quando 30mcg por dia passam a ser necessárias. Essa quantia segue até os 8 anos, quando uma fase de 40mcg por dia, que dura até os 14 anos, se inicia.


A partir dos 14 anos, todas pessoas devem consumir 55mcg de selênio por dia, excetuando-se as mulheres grávidas, cujas necessidades diárias sobem para 60mcg, e as mulheres lactantes, que precisam de 70mcg diários.


As fontes naturais mais concentradas de selênio são as castanhas do Pará, uma vez que apenas uma castanha pode possuir em si uma quantidade de selênio maior do que as necessidades diárias de um adulto. Com algumas castanhas do Pará é até mesmo possível ultrapassar as barreiras seguras e atingir uma pequena overdose de selênio.


Outra fontes significativas são o atum, as ostras, as sementes de girassol, o repolho, o brócolis e o espinafre. Alimentos com pequenas quantidades de selênio fazem, porém, parte da dieta diária de muitas pessoas, de modo extremamente positivo. É o caso do arroz, do leite integral, do pão integral e do alho, além dos ovos, alimentos com bons níveis de selênio em suas gemas.

envelhecimento.

Posts Em Destaque