A IMPORTÂNCIA DA VITAMINA E.


A IMPORTÂNCIA DA VITAMINA E.

A vitamina E é uma vitamina essencial para o funcionamento do organismo, pois tem potente ação antioxidante, propriedades anti-inflamatórias, além de contribuir para o controle do colesterol ruim e melhorar a fertilidade, pois tem papel importante na produção dos hormônios.


Alguns estudos apontam que justamente por sua forte ação antioxidante, a vitamina E pode proporciona benefícios como diminuir o risco de doenças cardíacas, prevenir o câncer de próstata, a degeneração da mácula, a doença de Alzheimer e a Esclerose Lateral Amiotrófica. Além disso, pesquisas observaram que a vitamina E pode ser benéfica para as gestantes, pois previne a pré-eclâmpsia.


Esta vitamina é encontrada na alimentação, e suas principais fontes são alimentos de origem vegetal, como cereais integrais, semente de girassol, amêndoas, avelã, amendoim, abacate ou azeite, por exemplo, entretanto, em alguns casos, a vitamina E também pode ser consumida na forma de suplementos em cápsulas, sob orientação do médico ou nutricionista.


Funções da vitamina E:


A vitamina E tem como função principal e mais conhecida a ação antioxidante, sendo o α-tocoferol o mais potente nesse quesito. Ela é importante no retardo do envelhecimento e até mesmo na prevenção de doenças sérias, como câncer, problemas cardiovasculares, diabetes, catarata e Parkinson. Também está relacionada com a diminuição de adesão plaquetária, proteção das hemácias contra a hemólise (destruição dessas células) e síntese de prostaglandinas.


Boa para o coração: Pesquisas apontam que a vitamina E pode melhorar a função cardíaca por proporcionar um relaxamento dos vasos sanguíneos e diminuir a formação de substâncias que podem obstruí-los. Contudo, grandes estudos observacionais não conseguiram provar isto.


Previne o câncer de próstata: Algumas pesquisas apontam que a vitamina E pode ajudar a prevenir e até a diminuir o crescimento dos tumores dependentes da testosterona, como é o caso do câncer de próstata. Contudo, os estudos ainda são controversos.


Previne a degeneração da mácula: Os estudos sobre a relação entre a vitamina E e a degeneração da mácula tem mostrado resultados distintos. Alguns apontam riscos baixos de desenvolver o problema em pessoas que tem maior ingestão de vitamina E, enquanto outros não mostram nenhuma associação.


Previne a degeneração da mácula: Os estudos sobre a relação entre a vitamina E e a degeneração da mácula tem mostrado resultados distintos. Alguns apontam riscos baixos de desenvolver o problema em pessoas que tem maior ingestão de vitamina E, enquanto outros não mostram nenhuma associação.


Previne a Esclerose Lateral Amiotrófica: Algumas pesquisas sugerem que a suplementação de vitamina E contribui para retardar ou prevenir a Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA). Em pesquisas feitas com ratos constatou-se que a suplementação com vitamina E atrasou o início da doença ou retardou a sua progressão. Em humanos este efeito também foi observado, mas ainda são necessárias mais pesquisas para confirmar este benefício.


Bom para gestantes: Algumas pesquisas apontam que a vitamina E poderia ajudar na prevenção da pré-eclâmpsia que ocorre em partes pelo estresse oxidativo aumentado na placenta. Uma pesquisa feita com ratos pela professora de bioquímica e fisiologia Ana Dulce Oliveira da Paixão, da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) observou que em casos de mães desnutridas o consumo de um tipo ativo de vitamina E, o alfa-tocoferol, previne o estresse oxidativo na placenta materna e a hipertensão da prole na idade adulta.


Deficiência de vitamina E


A falta de vitamina E não ocorre com muita frequência. Quando acontece, ela atinge principalmente pessoas que apresentam problemas de absorção e doenças como a fibrose cística. A deficiência dessa vitamina parece estar relacionada com problemas neurológicos, imunológicos e cardiovasculares. Como exemplos dos principais problemas observados, podemos citar a anemia hemolítica, reticulocitose e a neuropatia periférica. Apesar das evidências em outros animais, não existe uma relação concreta de que a falta dessa vitamina possa causar danos na fertilidade do homem.


Interações


Doses elevadas de vitamina E podem reduzir a absorção das vitaminas A e K. O uso concomitante com antiácidos contendo hidróxido de alumínio diminui a absorção das vitaminas lipossolúveis como a vitamina E.


Fontes de vitamina E


A vitamina E é encontrada naturalmente nos alimentos de origem vegetal e animal.

Origem vegetal:

  • Vegetais folhosos verde-escuros;

  • Óleos vegetais;

  • Sementes oleaginosas;

  • Gérmen de trigo.

Origem animal:

  • Gema de ovo;

  • Fígado.

Suplemento de vitamina E


O suplemento de vitamina E deve ser ingerido somente sob orientação médica. Ele geralmente é recomendado em casos de algumas doenças, como problemas de absorção intestinal, e também em situações de dietas que restringem o consumo desta vitamina.


Riscos do consumo em excesso


Não há provas científicas de que o excesso de vitamina E pela alimentação possa causar problemas no organismo. Contudo, o excesso por meio da suplementação, acima de 1000 mg, pode fazer com que a vitamina E tenha um efeito oxidante no organismo. Alguns estudos iniciais observaram a associação entre o aumento da mortalidade e doses de vitamina E acima de 400 mg/ dia.





























Posts Em Destaque